quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Noites mal dormidas

3 comentários

Está rolando na Internet esta imagem que, para alguns, parece engraçada. Mas tenho certeza que esses "alguns" não têm essas terríveis noites sem espaço e, consequentemente, acordam moídos. Pois é, o que eu mais temia está acontecendo comigo. O meu marido, tentando ser um bom pai, com dó de deixar o Davi chorando no berço, tirou o costume do nosso filho de dormir em seu quartinho. Resultado, cada noite uma posição dessas da imagem, até que eu desisti diante de tanto desconforto e parti para o sofá.

Por experiência de família, isso é uma baita cilada! Os meus pais são grandes exemplos para mostrar como isso é furada. Começaram a dividir a cama com o meu rimão e a divisão se estendeu por 11 anos! Isso mesmo, até os 11 anos o meu rimão dormiu com os meus pais! Até que um dia a minha mãe descobriu que o cobertor dela que “chamava” o PH. Para resolver o problema, o meu rimão ganhou o cobertor e daí em diante passou a dormir em seu quarto.

Conselho? Papais, não façam isso jamais! Não fiquem com dó do pequeno por dormir sozinho, ou com o coração na mão por ele passar 6h ou 8h em outro cômodo da casa, cerca de 3m de distância de vocês. Uma vez mal acostumado, suas noites tranquilas ficarão cada vez mais distantes de vocês. 

Se o bebê tem um quartinho para ele, deve usá-lo desde o nascimento. Aliás, os primeiros dias são o segredo do negócio. O bebê vem ao mundo sem saber o que é dia e noite, onde e quando dormir, por exemplo. Então, é fundamental ensiná-lo desde o início.

CURIOSIDADE: O bebê de 10 meses, 2ª semana – Com esta idade, seu bebê já consegue ficar sentado com segurança e talvez até ande pela casa apoiado nos móveis. A maior aventura é soltar as mãos do apoio e treinar o equilíbrio por alguns segundos. Você vai perceber que o equilíbrio melhora quando ele está segurando alguma coisa na mão, ou quando "esquece" que não está segurando em nada. São os primeiros passos para a independência. A maioria dos bebês aprende a andar entre 9 e 12 meses, mas é absolutamente normal andar só com 1 ano e 3 meses. E há aqueles que só vão andar com 1 ano e meio. (Fonte: Baby Center)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Ele é 1 em 100

3 comentários

Quantos de vocês já tinham ouvido falar em cardiopatia congênita antes de conhecer o Davi ou outra criança com o mesmo problema? Confesso que eu nem imaginava que isso existia. Esse é um dos motivos que a Associação de Assistência à Criança Cardiopata – Pequenos Corações, entidade sem fins lucrativos, trabalha arduamente. Além de ajudar famílias com crianças cardiopatas a terem acesso a tratamento adequado, a associação busca também apresentar à sociedade esse problema que não é tão incomum como imaginamos.

Hoje, fiquei revoltada com um atendimento. Estava à procura de uma clínica de fisioterapia para recuperar o atraso da parte motora que o Davi está sofrendo, devido ao tempo da última internação. Como ele ficou muito tempo deitado, retardou os passos que ele deveria dar antes de começar a andar – sentar, engatinhar, desenvolver os movimentos de reflexo com os bracinhos, levantar etc. Ele já está com 10 meses e ainda não senta por livre espontânea vontade, só se colocarmos na posição. Então, quando a atendente me perguntou o diagnóstico e eu comentei que o Davi é cardiopata entre a descrição da parte motora dele, ela me interrompeu: ele é cardiopata? Eu vou verificar se a Dra. atende, então! Ok, lá vou eu explicar que os atendimentos não terão relação nenhuma com a cardiopatia dele e que eu tenho encaminhamento médico.

Não foi a primeira vez que isso aconteceu comigo, mas até quando terei que explicar para um médico, por exemplo, o que é a cardiopatia do meu filho? Quem dirá à sociedade! Talvez tantas famílias não passariam por certos constrangimentos se o problema fosse divulgado, ou melhor, se o tema fosse incluído na Saúde pública. Muitas vidas podem ser salvas com o teste do coraçãozinho!

Mãezinhas, procurem e façam! Há milhares de famílias que não receberam o diagnóstico precoce e tiveram que correr contra o tempo para salvar os seus filhos, mesmo com todo o pré-natal em dia. Pensem!

A Pequenos Corações começou a atuar em Brasília no ano passado e está com um projeto maravilhoso para oferecer às famílias da cidade. Mas para colocar em prática, precisa de ajuda de voluntários.  Quer ajudar? Há várias formas! Uma delas é adquirindo o calendário anual, que está lindoooooo e é a principal fonte de renda da associação, por apenas R$ 10,00 (+frete). Quem tiver interesse, deixe o e-mail de contato nos comentários ou acesse o site da Pequenos Corações. Outra forma é indicar músicos ou contadores de histórias para alegrar os dias da criançada no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal. Ou ainda doar livros e brinquedos para montarmos uma brinquedoteca no hospital.

CURIOSIDADE:
O bebê de 10 meses – Seu filho continua aperfeiçoando seu poder de comunicação. Faz experiências emitindo novos sons e juntando sílabas. Para incentivá-lo, "converse" com ele, como se estivesse entendendo tudo o que diz. Trata-se de uma troca essencial, porque mostra à criança que a comunicação envolve dois lados e que tudo que ela diz afeta as outras pessoas. Mesmo que seu filho não seja dos mais tagarelas, ele provavelmente consegue mostrar o que quer apontando ou reclamando. Sempre que ele apontar, diga o nome da coisa que ele está pedindo, para incentivá-lo a associar a palavra ao objeto. (Fonte: Baby Center)

sábado, 7 de janeiro de 2012

Dentes, dentes, ahhhhh dentes

4 comentários

Quantas vezes já comentei sobre dentes aqui? Quatro? Pois é, pelo visto vou repetir o assunto por mais 26 vezes. O Davi já (ou ainda)está com seis dentinhos na boca, mas dá para multiplicar por 15 para vocês terem noção do nível de chatice que ele se encontra. Kkkkkkkkkk... 

Tadinho do meu pequeno, sei que deve ser insuportável a sensação de cada dentinho rasgar a sua gengiva. Lembro-me bem do meu sofrimento na época do siso. Mas haja paciência para aguentar tanto chororô, tanto dengo e levar mordidas no peito para aliviar o incômodo.

Como já mencionei outras vezes, o Davi não apresentou nenhum sintoma de dentição (febre ou diarréia), é SÓ a chatice mesmo. E com o dia a dia a gente vai descobrindo novos meios para amenizar o sofrimento. Os últimos “mordedores” que funcionaram foram a escova de dente, a colherzinha de silicone e, a mais nova descoberta, o biscoito de maisena. O Davi amou a bolachinha e é impressionante como o acalma.

Então, alguma sugestão para eu tentar quando as minhas opções não resolverem mais?

Vamos trocar figurinhas!

Ah! Hoje vou deixar os meus parabéns à minha amiga Tati que descobriu nesta semana a sua nova identidade – MAMÃE DA RAISSA! Não canso de dizer, aproveite muito essa fase maravilhosa, Tati. Tudo passa muito rápido e o barrigão deixa muita saudade!

CURIOSIDADE: O bebê de 9 meses, 3ª semana – Toda vez que você sai para trabalhar o bebê abre o berreiro? Calma, não há nada de errado com ele, esse apego todo com os pais é normal nesta idade. Ele não sabe se você vai voltar, e fica simplesmente apavorado com a perspectiva de a mãe sumir para sempre (quem não ficaria?). (Fonte: Baby Center)
 

Minha Vida em Semanas... Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez